segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Religião Pura e Verdadeira

Religiões há muitas. Mas, pura e verdadeira só há uma. Dela fala Tiago sob a inspiração divina nos seguintes termos: “Ponham a Palavra de Deus em prática e não se contentem com ouvi-la, porque desse modo enganam-se a si mesmos. Aquele que se contenta com ouvir a Palavra e a não pratica é como alguém que se vai ver ao espelho e que, ao afastar-se, logo se esquece de como era. Aquele, porém, que presta atenção à lei verdadeira, a lei da liberdade, e nela persevera, não é como um simples ouvinte que logo se esquece, mas sim como quem a ouve e pratica, e que por ela encontrará a felicidade.

“Se alguém acha que é uma pessoa muito religiosa, mas não domina a sua língua, está completamente enganado; a sua religião é inútil. A religião pura e sem mácula diante de Deus nosso Pai, é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas nas suas tribulações, e afastar-se da corrupção do mundo” (Tiago 1:22-27).         

O termo ‘religião’, de re-ligare – ligar-se repetida e continuadamente ao divino – diz tudo: (1) Pressupõe uma permanente ligação com Deus, pela maravilhosa graça de Jesus; (2) Cumpre-se horizontalmente no nosso discipulado diário, como dedicados seguidores e imitadores de Cristo. Por outras palavras: amando a Deus sobre todos as coisas, nós alimentamos e realimentamos a nossa comunhão com Ele em adoração; amando o próximo como a nós mesmos, nós com ele nos solidarizamos nas suas dificuldades e mantemos a nossa vida impoluta e incontaminada guardando-nos da corrupção que há no mundo.

Ser cristão é, de facto, isto: fé em acção. E é na plenitude da vida cristã materializada em boas obras que verdadeiramente se cumpre em nós a religião pura e imaculada. 

1 comentário:

David Cameira disse...

Fiquei tocado por este texto.
No entanto desejava igualmente salientar que a salvaçaõ não faz q o santos fiquem totalmente perfeitos em todo o tempo e a todo o momento, mm ou se calhar até subretudo os que tem alguma vivencia no meio religioso